Produzido por fãs com autorização da Warner Bros, detentora dos direitos cinematográficos da franquia, a produção está disponível gratuitamente no Youtube. Com duração de 52 minutos, conta a história de origem de Tom Riddle, ou Lord Voldemort, grande vilão da saga do bruxo.

A história segue a personagem Grisha Mac Laggen, que investiga o assassinato de Hepzibah Smith, descendente da família Lufa-Lufa, e as supostas ligações de Tom Riddle com o caso.

Porque vale a pena ver o filme?

A ótima atuação do Jovem Voldemort, aqui interpretado por Stefano Rossi, conseguindo manter forte a interpretação do já atual Voldemort interpretado por Ralph Fiennes.

O longa ainda faz menções a grandes nomes do universo, como Dumbledore e Grindelwald, e também explora muito bem um enredo que está nos livros: a morte de Hepzibah Smith, que garantiu a Voldemort algumas horcruxes.

A forma como foi narrada e o ritmo das cenas, me deram uma sensação de estar assistindo um seriado, porém, apesar de querer um melhor desdobramento quando concluísse o filme, ele foi bem satisfatório.

Aspecto mais forte é sim sua parte técnica destacando a trilha sonora sinistra e a bela fotografia. O bom uso de efeitos práticos mostra como os filmes independentes não utilizam o baixo orçamento como uma desculpa, em vez disso fazem o máximo com o que têm.

Cenas Dinâmicas como as de duelos de varinhas possuem bem a característica do filme, assim como um toque sombrio, evidentes e necessários ao protagonista.

Enfim, um filme feito de fãs para fãs!

Ponto incomodo

A narrativa feita por Grisha McLaggen (Maddalena Orcali), onde ela, junto ao bruxo russo não são convincentes em suas interpretações, porém, não prejudicou de fato o filme.